PUXÃO DE ORELHA

Fiquei alguns dias ausente da blogosfera. Por causa disso, recebi um puxão de orelha ou digamos, uma cobrança, do jornalista, professor, mega-blogueiro e meu amigo Zé Marcos. Vejam só o recado que ele deixou aqui no blog:

 

Como expliquei num post que deixei ontem, estive meio sem tempo nos últimos dias e por isso, acabei não fazendo as atualizações. Mas ver esse recado do Zé me deixou supercontente, pois é um sinal de que ele prestigia este espaço. Quanta honra para mim! É legal ver que as pessoas sentem falta do seu trabalho. Isso estimula ainda mais.

 

 

Agradeço a todos que acessam este blog e dispensam alguns minutinhos ao que escrevo por aqui. Um grande abraço a todos!

A VIOLÊNCIA CONTINUA E O QUE ESTAMOS FAZENDO?

Os atos violentos, macabros e perversos continuam. Hoje pela manhã, li no jornal que dois irmãos, um de 7 e outro de 9, mataram uma garotinha de 2 anos na Argentina. Eles contaram aos psiquiatras detalhes de como o crime foi cometido. A dor da menina foi percebida pelos garotos, porém isso não os comoveu.

 

Uma psicóloga disse que os meninos são vítimas, tanto quanto a garota que morreu. Segundo ela, mesmo que soubessem o que estavam fazendo, eles não teriam a percepção de que matariam a menina. Será?

 

É difícil saber o que se passa pela cabeça dos outros e como é a formação intelectual de uma pessoa. Mas o fato é que a menina foi encontrada a 10 quarteirões de onde morava, jogada num terreno baldio, nua, espancada e estrangulada com um fio de telefone. Acho que qualquer criança aos 7 anos já possui uma noção do que pode ser perigoso. Então, fica difícil acreditar que esses garotos não sabiam das conseqüências que poderiam chegar.

 

Agora, a dúvida que paira, é se esses meninos agiram sozinhos. O pai da menina acha que existe a participação de um adulto e o advogado da família entrou com um pedido solicitando as investigações. Nos depoimentos, porém, os garotos jamais citaram uma terceira pessoa. De qualquer forma, este é mais um caso de tortura e deve ser investigado. Na Argentina, a lei proíbe a condenação de um menor de 18 anos. Até alcançar essa idade, os jovens são mantidos em centros de reabilitação e depois disso, são soltos, impunes. Talvez, seja interessante discutir alguma alteração para essa lei.

 

A violência continua. A cada dia que passa novos casos que chocam o mundo e na maioria das vezes, acabam esquecidos ou sem punição. Nós, mediante ao que vemos pela mídia, só podemos pedir a Deus que ilumine a cabeça dessas pessoas. E é claro, começar a agir com pequenos atos na comunidade onde vivemos. Fazer o bem, por menor que seja, é uma atitude nobre. Só o fato de sabermos que estamos fazendo a nossa parte, contribuindo com o espaço em que vivemos já é uma grande ação. Portanto, não podemos ficar parados. É como dizia Albert Einstein: “A violência fascina os seres moralmente mais fracos”. Perder a esperança? Nunca.

O QUE É SABEDORIA PRA VOCÊ?

“Por sabedoria entendo a arte de tornar a vida o mais agradável e feliz possível”. (Arthur Schopenhauer)

UMA AÇÃO SOLIDÁRIA

No dia 08 deste mês, quinta-feira, participei de uma ação solidária. Durante o mês de abril, o grêmio da minha escola, no qual participo como vice-presidente, desenvolveu a campanha dos alimentos. Essa atividade faz parte de uma gincana cultural que estamos promovendo. Os alunos se mobilizam, executam tarefas e vão ganhando pontos. É claro que se houver bagunça, anotações na pasta de ocorrência, classes desorganizadas e demais indisciplinas, eles perdem pontos também. No final do ano, a turma que tiver maior pontuação vai ganhar um dia numa chácara para aproveitar com os amigos. Legal, né?

 

Após um mês incentivando a doação de alimentos, fomos fazer a entrega dos mantimentos ao Asilo São Vicente de Paula. Não sei explicar o que senti quando cheguei lá. Ver aqueles idosos lá, de uma certa forma abandonados (mesmo sendo muito bem tratados pelos funcionários do asilo) me fez refletir sobre a vida.

 

Alguns idosos, lúcidos, conversaram com a gente e nos receberam muito bem. Percebíamos que para eles, isso era importante. Outros, já não tão lúcidos, apresentavam dificuldades para falar e quase não se entendia nada. Acaba sendo triste, ou sei lá como definir isso tudo.

 

Só sei que pude ver de perto as necessidades daqueles idosos. Necessidades que vão muito além de mantimentos, roupas ou qualquer outra coisa material. Estou falando de atenção, carinho... Foi isso que percebi. Não sei se as famílias costumam visitá-los no asilo, mas particularmente, sem pré-julgar ninguém, acho que não. Passamos alguns minutos conversando com eles.

 

Tinha um lá que era corintiano e eu, quis por que quis torná-lo palmeirense. Acho que não deu certo! rs. Esse trabalho do grêmio, me fez adquirir uma nova experiência, já que nunca havia visitado um asilo. Agora tenho uma idéia de como deve ser difícil, em alguns casos, encarar o peso da idade.

 

Obs: As fotos que fizemos estão na escola. Assim que eu as tiver no meu computador, posto aqui, blz?

ATUALIZAÇÕES DO BLOG

Olá amigos internautas! Quem é vivo sempre aparece, não é mesmo? Quero pedir desculpas por todos esses dias que fiquei ausente da blogosfera. Sei como é chato acessar um blog e ver que não há nada de novo. Eu mesmo não gosto.

 

Mas é que nos últimos dias andei meio sem tempo. Tenho me ocupado com a escola, com as provas, trabalhos e com a preparação dos meus encontros de catequese. Sem falar que no último domingo fiquei de molho praticamente o dia todo. Peguei uma gripe de derrubar, mas agora já tô melhor. Ainda bem!

 

Tem umas fotos legais na escola que tiramos para registrar alguns projetos que estamos desenvolvendo. Vou ver se consigo ter acesso à elas pra postar aqui. Agradeço a você que esteve visitando este blog  mesmo durante o período em que não fiz as atualizações. Provavelmente, neste final de semana prolongado apareço por aqui pra colocar o papo em dia, ok? Bom feriado.

 

Obrigado pela atenção! Continue acessando.

[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]



Visitante número: